< Voltar áreas ambientais brasileiras

Brasil quase perdeu 80 mil quilômetros de áreas ambientais

As áreas ambientais brasileiras ganharam uma garota propaganda de peso. E também mais espaço com o veto de duas medidas provisórias.

Diga NÃO para reduzir a proteção na Amazônia!

Pelo jeito um apelo no Twitter da maior top model do mundo surtiu efeito. Na segunda-feira, 19 de junho, o presidente Michel Temer vetou as MPs 756 e 758, e respondeu à Gisele também pelo Twitter:

twitter2

 

 

 

 

 

 

@giseleofficial e @WWF, vetei hoje integralmente todos os itens das MPs que diminuíam a área preservada da Amazônia.

O apelo de Gisele Bündchen foi baseado no relatório do WWF (confira aqui), que alertava para o risco do Brasil perder uma área de 80 mil quilômetros de áreas ambientais.

Isso é equivalente ao tamanho de Portugal.

A modelo ainda divulgou o link para uma petição no site do WWF (aqui), que conta com uma carta aberta ao presidente:

 

Presidente Temer, 

Assinar as Medidas Provisórias 756 e 758 que reduzem conjuntamente 597 mil hectares de áreas protegidas na Amazônia é o mesmo que rifar o Brasil.

Reduzir esses hectares de florestas protegidas, que pertencem a Unidades de Conservação, vai na contramão das expectativas da nossa sociedade brasileira e internacional, altamente preocupada com a proteção da floresta amazônica (fundamental para a manutenção do equilíbrio climático do planeta).

Por isso, pedimos o VETO INTEGRAL dessas Medidas. Não podemos permitir perder #NenhumHectareaMenos.

Agradecemos sua atenção e compromisso com a sociedade brasileira.

 

O presidente tinha até esta segunda-feira para sancionar ou vetar as duas MPs. Após o tweet, a assessoria do Palácio do Planalto confirmou os vetos nas MPs 756 e 758.

De acordo com especialistas, se os textos fossem aprovados poderiam favorecer as ocupações ilegais de terras e beneficiar desmatadores na Amazônia.

Histórico

Comissões especiais do Congresso haviam alterado, em abril, as medidas provisórias editadas por Temer em dezembro. Com isso, ampliaram o tamanho do dano ambiental, deixando de proteger mais de 1 milhão de hectares.

A votação de abril atingiu também Santa Catarina. O Parque Nacional de São Joaquim havia perdido 20% de seu território. A área remanescente de mata de araucária é importante na recarga de aquíferos.

Em Mato Grosso, também em abril, a Assembleia Legislativa aprovou em primeira votação projeto que extingue o Parque Estadual Serra Ricardo Franco, área de mais de 158 mil hectares. O Parque abriga fazendas do chefe da Casa Civil de Temer, Eliseu Padilha.

Pelo jeito as polêmicas no Twitter ainda vão continuar.

Fonte:

http://www.envolverde.com.br/brasil-pode-perder-este-ano-o-equivalente-ao-territorio-de-portugal-em-areas-protegidas/

http://g1.globo.com/politica/noticia/temer-anuncia-a-gisele-bundchen-no-twitter-veto-a-trechos-de-mp-que-beneficiavam-desmatadores.ghtml

 

< Voltar