Fevereiro Roxo: Mês de conscientização de doenças como o Alzheimer, Fibromialgia e o Lúpus

COMPARTILHE:

O que é Fevereiro Roxo?

O ‘Fevereiro Roxo’ é o mês de conscientização de doenças como o Alzheimer, Fibromialgia e o Lúpus. Seu lema é: “se não houver cura, que ao menos haja conforto”, aludindo à importância de proporcionar bem-estar aos portadores de doenças crônicas. Essas doenças apresentam diferenças, mais tem algo em comum: são incuráveis. Realizar o diagnóstico precoce é um dos principais objetivos da campanha, que ajuda no controle dos sintomas e a melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Alzheimer

A Doença de Alzheimer (DA) é um transtorno neurodegenerativo progressivo e fatal que se manifesta pela deterioração cognitiva e da memória, comprometimento progressivo das atividades de vida diária e uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e de alterações comportamentais. A doença instala-se quando o processamento de certas proteínas do sistema nervoso central começa a dar errado. Surgem, então, fragmentos de proteínas mal cortadas, tóxicas, dentro dos neurônios e nos espaços que existem entre eles. Como consequência dessa toxicidade, ocorre perda progressiva de neurônios em certas regiões do cérebro, como o hipocampo, que controla a memória, e o córtex cerebral, essencial para a linguagem e o raciocínio, memória, reconhecimento de estímulos sensoriais e pensamento abstrato.

Sintomas da Alzheimer:

O primeiro sintoma, e o mais característico, do Mal de Alzheimer é a perda de memória recente. Com a progressão da doença, vão aparecendo sintomas mais graves como, a perda de memória remota (ou seja, dos fatos mais antigos), bem como irritabilidade, falhas na linguagem, prejuízo na capacidade de se orientar no espaço e no tempo

Fibromialgia:

A Fibromialgia ataca especificamente as articulações, causando dores por todo o corpo, principalmente nos músculos e tendões. A síndrome também provoca cansaço excessivo, alterações no sono, ansiedade e depressão. A doença pode aparecer depois de eventos graves como um trauma físico, psicológico ou mesmo uma infecção. O motivo pelo qual pessoas desenvolvem a doença ainda é desconhecido. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) calcula que a fibromialgia afeta cerca de 3% da população. De cada 10 pacientes com fibromialgia, sete a nove são mulheres.

Sintomas da Fibromialgia:

Dor generalizada, Fadiga, Dificuldades cognitivas (problemas de concentração, perda de memória etc) e Formigamento nas extremidades do corpo (mãos e pés).

Como todos os sinais acima são problemas relativamente comuns, acredita-se que a doença seja subnotificada. As dores da fibromialgia são constantes e costumam durar cerca de três meses a cada vez. A pessoa afetada nota uma redução em sua capacidade de se exercitar, justamente devido às dores e à fadiga. Ela também passa a sofrer com problemas de sono, como insônia e apneia, muitas vezes apresentando quadros de depressão.

A maioria dos portadores é composta por mulheres entre 30 e 60 anos de idade, mas a síndrome pode surgir mais cedo, inclusive na infância e na adolescência. Sabe-se que há fatores genéticos envolvidos, ou seja, quem tem um familiar com Fibromialgia é mais propenso a apresentar a doença.

Lúpus

O Lúpus é caracterizado como um distúrbio crônico que faz com que o organismo produza mais anticorpos que o necessário para manter o organismo em pleno funcionamento. Os anticorpos em excesso passam a atacar o organismo, causando inflamações nos rins, pulmões, pele e articulações. Segundo o Ministério da Saúde, o Lúpus Sistêmico (Les) é a forma mais séria da doença e também a mais comum afetando aproximadamente 70% dos pacientes com Lúpus. Ele afeta principalmente mulheres, sendo 9 em 10 pacientes com o risco mais elevado durante a idade fértil.

Sintomas da Lúpus:

Fadiga, Febre, Dor nas articulações, Rigidez muscular e inchaços, Rash cutâneo – vermelhidão na face em forma de “borboleta” sobre as bochechas e a ponta do nariz. Afeta cerca de metade das pessoas com lúpus. O rash piora com a luz do sol e também pode ser generalizado, Lesões na pele que surgem ou pioram quando expostas ao sol e Dificuldade para respirar.

Os gatilhos para desencadear o Lúpus, de acordo com a ciência, são:

  • Luz solar: a exposição à luz do sol, de forma inadequada e em horários inapropriados, pode iniciar ou agravar uma inflamação preexistente a desenvolver lúpus. Além disso, esse tipo de postura também pode provocar câncer de pele.
  • Infecções: ter uma infecção pode iniciar lúpus ou causar uma recaída da doença em algumas pessoas, o que pode gerar um quadro leve ou grave, conforme cada situação.
  • Medicamentos: lúpus também pode estar relacionado ao uso de determinados antibióticos, medicamentos usados para controlar convulsões e também para pressão alta. Informe seu médico se notar qualquer sintoma estranho.

É fundamental manter uma alimentação equilibrada, praticar exercícios físicos regulares e ficar longe do cigarro e de bebidas alcoólicas. Também é importante manter a mente em atividade, além de controlar ansiedade e estresse.

O diagnóstico precoce é decisivo para se adotar os cuidados necessários e garantir boa qualidade de vida aos pacientes.

Não se esqueça se sempre consultar seu médico de confiança!

💬 GOSTOU DO CONTEÚDO?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

👋 sobre nós

Apresentação comercial

Faça o download da nossa apresentação comercial e descubra como a Sanetran pode ajudar o seu negócio!

COMPARTILHE:

MARCADORES:

📕 ebook

Gestão de resíduos do zero ao avançado

Tenha acesso a um guia completo para a implementação de uma gestão de resíduos eficiente para o seu negócio.

COMPARTILHE:

MARCADORES:

VOCÊ PODE GOSTAR:

plugins premium WordPress

Apresentação comercial

Preencha o formulário e acesse nossa apresentação comercial.